Curió

Oryzoborus angolensis

CriaçãoTambém conhecido como Avinhado, Curió significa na linguagem indígena " Amigo do homem ". É da ordem dos Passeriformes e da família das Fringílidas seu nome em Inglês é Thick-billed (Lesser) Seed Finch e em Espanhol é Semillero Picogueso.O Curió é marrom quando novo, após completar aproximadamente 420 dias suas penas ficam pretas podendo aparecer também uma pequena mancha branca na asa, sua barriga e peito ficam da cor vinho, a fêmea é marrom com um tom mais claro no peito, mesmo quando adulta. Pode ser encontrado em todo o Brasil e em alguns lugares da América do Sul. Habita as regiões litorâneas brasileiras e principalmente o litoral paulista, pode viver até 30 anos em cativeiro (se bem cuidado) e de 8 a 10 anos na vida selvagem. Mede aproximadamente 14 cm.O período de acasalamento ocorre a partir do mês de agosto até o fim do mês de março, com período de incubação de aproximadamente 12 dias, onde a fêmea bota de 1 a 3 ovos por ninhada. A muda (troca de penas) ocorre entre os meses de março e junho.O nome Curió na língua tupi guarani significa "Amigo do Homem", pois este pássaro gostava de viver perto da aldeia dos índios. Esta característica de se aproximar do ser humano, sua elegância, enorme capacidade de disputar pelo canto quem é o dominador do território e a enorme qualidade de seu canto, fez do curió um amigo muito estimado entre os criadores e amantes de pássaros em geral. O bicudo (Oryzoborus Maximiliani)  é um parente muito próximo do curió e também possui excelente canto. O Bicudo é um pouco maior, todo preto e com a mesma mancha branca na asa.O Curió aprende a cantar desde pequeno com o pai, porém, só é aconselhável ouvir o canto do pai, caso este seja um canto perfeito. As aves emitem sons que podem exprimir alegria, tristeza, aviso de alerta, dentre outros. Há uma grande variedade de cantos, que varia de região para região do país. No Brasil já foram encontrados mais de 128 cantos diferentes e os mais conhecidos são: Praia Grande, Paracambi, Uberaba, Vi te teu, Mateiro (que é o canto natural do pássaro). Além da diferença de canto, existe também a categoria com repetição (mais de 4 cantos) e sem repetição (de 1 a 4 cantos). O canto mais difundido por todo o Brasil é o chamado Praia Grande. Esse canto é originário das praias paulistas e, atualmente, está extinto na natureza, ou seja, os pássaros selvagens não mais o emitem. Por isso, a preocupação dos criadores de todo Brasil em manter e preservar este tipo de canto. O curió além de excelente cantor é um imitador nato, por isso, não é aconselhável criá-lo com outras espécies de pássaros, porque ele aprenderá facilmente o canto delas, perdendo assim a pureza de suas notas musicais características. O melhor tempo para o curió aprender a cantar é quando novo, ainda com 3 meses de idade. Colocando o pássaro para escutar o canto de fita, CD ou de um mestre (pássaro do plantel que tem o melhor canto), mas também pode aprender depois de velho se ele for cabeça mole (nome dado pelos criadores, um curió que ao escutar um canto diferente do seu troca de canto). Você pode encontrar discos contendo gravações de canto de curió, especiais para o treinamento de filhotes e aperfeiçoamento do canto de curiós adultos.Esforços tem sido feitos entre criadores para que esta espécie não desapareça, bem como existe a legislação que proíbe a captura e transporte destes animais em estado selvagem, sendo caracterizado como crime inafiançável. Somente exemplares oriundos de criadouros autorizados devem ser adquiridos.  

Reprodução

ReproduçãoNa natureza o curió defende com muita garra seus domínios. Se alguma outra ave se aproxima do ninho, ele a repelirá até com certa violência. Em cativeiro não será difícil procriar a espécie, desde que seja reconstituído o seu habitat natural. para isso, você deve criá-lo em gaiolões ou viveiros. Nos viveiros devem ser plantadas pequenas árvores como pinheirinho. Nos gaiolões, devido ao espaço menor, coloque alguns ramos de bucho (tipo de vegetação) para a fêmea usá-los na construção do ninho. Este ninho pode ser encontrado em qualquer loja especializada e colocado no viveiro ou gaiola. O importante é colocar as gaiolas ou os viveiros em local arejado, que não seja escuro, não sofra correntes de ar e nem excesso de calor ou frio e, se possível, receba os raios solares da manhã. O reprodutor deve gozar de total saúde, e a fêmea também deve estar com boa saúde e deve estar pronta para a procriação. Não se deve cruzar pássaros consangüíneos para não ocorrer degeneração. A fêmea deve ter de 1 a 4 anos de idade, que é seu período de postura, embora algumas continuam com a postura mais tempo. Depois do nascimento do filhote é aconselhável tirar o macho e deixar só a fêmea, mas o macho deve estar por perto para ensinar o filhote a cantar. Para que o acasalamento aconteça, coloquem o macho e a fêmea inicialmente em gaiolas separadas, mas próximas uma da outra. Após cinco dias desse "namoro" à distância, junte os dois na mesma gaiola e deixe-os juntos para cruzarem algumas vezes. A fêmea normalmente põe de 2 a 3 ovos, que são chocados em torno de 12 dias. Quando os filhotes nascem, levarão cerca de 10 a 14 dias para saírem do ninho. É nesse período que os filhotes começam a exercitar as asas e as pernas, por isto, você deve colocar o ninho em lugar baixo para evitar que os filhotes morram por uma eventual queda. Com 20 a 25 dia os filhotes começam a "churriar" (emitir os primeiros cantos). Quando eles estiverem com 30 dias mais ou menos, já se alimentam sozinhos e você deve retirá-los da companhia dos pais. Isso é muito importante porque o macho, inexplicavelmente, poderá feri-los se ouvir cantos de outros pássaros. Por isso, coloque os filhotes em gaiolões para voarem e se desenvolverem. O curió é conhecido pela higiene e limpeza do ninho. Isso é tão marcante na espécie que alguns criadores não colocam mais a coleira de identificação na perna dos filhotes enquanto estão no ninho, porque a mãe curió vai retirá-las podendo até ferir os filhotes nessa tentativa. Ela não aceita nenhum objeto estranho ou sujeira no ninho. A troca de pena e bico é feita no período de abril a junho (podendo variar de um pássaro para outro e de regiões), neste período há uma queda da resistência e o curió está sujeito a pegar febre e outras doenças. Convém cobrir a gaiola para evitar o vento e, dar boa alimentação e deixar a gaiola bem limpa. Neste período o curió provavelmente deixará de cantar. 

Cativeiro:

CativeiroAs Gaiolas para os Curiós devem ter no mínimo 45 cm de comprimento, 30 cm de altura e 30 cm de largura. Devem conter um comedouro e um bebedouro de fácil remoção para a limpeza. Os Curiós gostam de tomar banho, então o uso de uma banheira plástica pela manhã se faz necessário. A limpeza regular é outro fator importante para a saúde destes pássaros. O sol também é muito importante, principalmente durante o começo da manhã e também no final da tarde. Mantenha a gaiola em um local seguro e abrigado de correntes de vento.